Bem-vindo ao SENAR SERGIPE

O que você procura?


A cochonilha de escama, conhecida também como piolho ou mofo da palma, é uma das principais pragas que devasta a palma forrageira. Para evitar a proliferação, o produtor deve acompanhar os primeiros sinais da infestação e realizar o controle.

 

A supervisora do programa de Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Sergipe – Senar/SE, Julianne Santiago Silva Goveia, explica que a cochonilha é um inseto que cobre a raquete da palma com suas colônias protegidas por escama branca que aparecem na base da planta e vai até a parte superior. A engenheira agrônoma Julianne Santiago orienta os produtores sobre as medidas que devem ser adotadas.

 

“É um inseto que vive no solo e ele começa a infestar a planta de baixo para cima. Os primeiros sintomas são na base da planta e a recomendação é fazer pulverização com óleo mineral, detergente, extrato de nin para ir controlando esses insetos logo no início, mas se já tiver atacado boa parte do palmal, a gente recomenda cortar a planta e fornecer aos animais. Existem alguns inseticidas registrados pelo MAPA também disponíveis no mercado” orienta.

 

Podridão mole

 

Outra doença que acomete muito as palmas é a podridão mole, causada por fungos que aparecem na base da planta apodrecendo a raquete causando o tombamento. Segundo a engenheira agrônoma Julianne Santiago, o produtor deve ficar atendo aos primeiros sinais da doença.

 

“Temos que tirar a planta do local para evitar proliferação do fungo e pode ser oferecida aos animais também. A gente consegue reduzir essa doença realizando a cura das raquetes antes do plantio e, também, evitando o excesso de matéria orgânica na área”, afirma.