Bem-vindo ao SENAR SERGIPE

O que você procura?


Os técnicos de campo da Assistência Técnica e Gerencial – ATeG participaram na segunda-feira, 30, do treinamento sobre Planejamento Forrageiro. O objetivo é capacitar os técnicos de campo em relação ao planejamento para a safra de 2021.

 

O planejamento forrageiro é realizado junto ao produtor para que ele possa alimentar o rebanho com forragem de qualidade nutricional ao longo do ano, evitando a falta de alimento. Através da ATeG do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Sergipe – Senar/SE, os técnicos de campo orientam os produtores sobre como realizar este planejamento.

 

A capacitação foi realizada em dois turnos com aulas teóricas e práticas. No período da manhã, a supervisora Julianne Santiago Silva Goveia abordou a importância do manejo nutricional.

 

“Muitos produtores não se planejam e produzem silagem de forma não satisfatória e eles precisam suprir esse déficit nutricional com concentrado que está com preço elevado, aumentando o custo da produção. Se você tiver uma silagem de milho e de sorgo com qualidade, não vai precisar usar tanto concentrado”, pontua.

 

No período da tarde, os técnicos realizaram cálculos sobre a produção da forragem. Segundo o supervisor Ismar Farias, o objetivo é que os técnicos apliquem o conhecimento adquirido quando estiverem em campo com os produtores.

 

“A aula prática é importante para os técnicos consigam calcular as demandas dos produtores, o quanto eles têm de forragem armazenada, calcular as áreas que serão plantadas ano que vem para dar suporte forrageiro ao rebanho dele. Como estamos no semiárido, a forragem é importante para garantir uma produção de leite estável durante todo o ano sem muita sazonalidade. Além disso, os produtores começam a entender a importância de produzir cada vez mais volumoso para passar pelo período de seca”, enfatiza Ismar.

 

O técnico de campo André Germano Teles de Matos destacou a importância da capacitação. “ Vamos levar o conhecimento adquirido para o produtor no próximo ano para aplicar nos plantios de milho e da palma. O planejamento forrageiro diminui os custos porque você produz mais quantidade de volumoso por menos área, fazendo uma adubagem, plantio e colheita no momento correto. Você diminui os custos produzindo mais em menos área”.

 

Para o técnico de campo Páblo Jonatas, a principal dificuldade do produtor é em relação ao planejamento, o cálculo e as necessidades de forragem. “Este treinamento é de fundamental importância. No próximo ano vamos colocar em prática com os nossos produtores o que estamos aprendendo hoje. O treinamento está sendo conduzido por dois especialistas na área e isso nos traz segurança para passar para os produtores”.