Bem-vindo ao SENAR SERGIPE

O que você procura?


A Exposição Agropecuária de Frei Paulo movimentou a economia local e o setor agropecuário durante os dias de evento. Mais de 300 animais foram expostos durante a exposição que movimentou  mais de R$ 3 milhões. O evento reuniu expositores dos estados de Alagoas, Bahia e Pernambuco no Parque de Exposições Manoel Vivaldo.

Para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Sergipe, Ivan Sobral, mais uma exposição realizada com sucesso. “Um evento muito importante para região e para quem participa das exposições do estado para expor o seu produto, comercializar e trocar experiências. A Faese vem realizando esses eventos que estão se fortalecendo a cada ano no estado”.

O pecuária do município de Lagarto, Agnaldo Almeida, levou 10 animais da raça Nelore para expor. Ele conta que já participa há cinco anos de exposições, mas está participando pela primeira vez em Frei Paulo. “Uma forma de mostrar o que você tem de bom. Um espaço para vender os nossos animais e os próximos que vão nascer a partir deles”.

Pecuarista Agnaldo do município de Lagarto

A programação contou com julgamentos de ovinos, equinos, caprinos e bovinos e leilões. A zootecnista Mari Almeida participa dos julgamentos da Faese há seis anos. Ela afirma que o julgamento dos animais é uma parte importante da exposição.

“O julgamento é importante, pois temos uma avaliação racial. A gente sabe as características para ter um animal bom e produtivo. No julgamento da raça Girolando, por exemplo,  tem vários animais e a juíza  vai escolher o que mais se destaca para produzir leite e a partir dela, pode começar um trabalho de reprodução e perpetuar o que aquele animal tem de bom para todos no estado”, explica Mari.

A zootecnista Maril Almeida participa dos julgamentos há seis anos

O pecuarista Carlos Augusto Santos Paixão é do município de Frei Paulo e levou 22 animais para serem expostos no Parque Manoel Vivaldo. Ele destaca a importância da exposição para o fortalecimento da pecuária em Sergipe.

Pecuarista Carlos Augusto levou 22 animais

“A exposição promove a integração com os nossos colegas de Sergipe, Bahia, Alagoas e Pernambuco aqui presentes. Além disso, é uma oportunidade para mostrar a nossa genética que está muito boa. Na exposição você mostra o seu produto e o seu nome para a sociedade”, afirma.